Aguarde

Novos tempos pedem novas propostas e soluções.
Inclusão, currículos adaptados, atividades diferenciadas são a tônica do trabalho atual do professor que precisa atender individualmente todos os seus alunos.
E se você encontrasse numa só pesquisa, uma variedade de atividades sobre o mesmo tema, em diferentes níveis de aprofundamento?
Vem aí, os NOVOS DISCOS VIRTUAIS...
Aguarde!

NEGOCIOS - removendo preconceitos

As atividades de Marketing Multinivel ainda hoje enfrentam o
preconceito de uma parcela da população.

Você sabe o que é preconceito?

Como o nome já diz é o pré-conceito, ou seja, uma opinião formada antes de se ter os conhecimentos adequados.
Por isso, eu,desde que comecei a desenvolver atividades neste segmento, pesquisei, li e encontrei muita informação justamente para saber apontar quais as legitimas atividades do segmento de Marketing Multinivel, aquelas que existem dentro das normas e leis especificas que regem a atividade e que podem ser representadas sem medo tanto para as pessoas que você conhece,seus parentes, vizinhos e sua comunidade,quanto na internet.
Para auxiliar na compreensão sobre a diferença entre uma empresa de Marketing Multinivel e uma empresa tradicional, eu preparei o vídeo abaixo como resultado de todas as pesquisas que fiz.
Você, como parte da elite cultural do país, com habilidades de comunicação visto que já trabalha com pessoas, certamente seria bem sucedida(o) numa atividade em marketing multinivel e conquistaria uma renda extra para quem sabe, trabalhar menos... ao invés de 40 horas, poder trabalhar um turno na escola e aproveitar melhor o convivio com sua familia!
Invista 10 minutos de seu tempo para assisti-lo pois somente compreendendo e percebendo a simplicidade e a legitimidade no negócio, você poderá tomar a sua decisão,e essa decisão pode mudar a sua vida para sempre!


MATEMÁTICA - situações problemas com divisao


MATEMÁTICA - segmento de reta e semi-reta


POLÍTICA - Revolução de 64 - para voce que não viveu ou esqueceu

quinta-feira, 19 de agosto de 2010



É importante a gente refrescar a memória do cidadão brasileiro sobre um fato marcante na vida política do país - a Revolução de 64.



Da mesma forma, torna-se imperioso narrar alguns fatos aos mais jovens, muitos dos quais, nem nascidos eram.

A Revolução Militar de 64 nasceu de um movimento popular quando mais de 1 milhão de pessoas foram às ruas de São Paulo e do Rio Janeiro para pedir ao Exército brasileiro que impedisse a implantação de um regime comunista no Brasil.
Foi a partir desse evento que Jango Goulart, o presidente à época, foi deposto.
Quem eram as pessoas que queriam implantar o comunismo no Brasil?

São essas mesmas que hoje ocupam o poder no país.

A história conta que os militares ficaram no poder além do limite e daí surgiram grupos de oposição a este regime.

Um grupo, liderado por grandes nomes da nossa politica como Ulysses Guimarães, Trancredo Neves, Zé Serra e outros, lutou pacificamente pela volta da democracia com movimentos como o Diretas Já.

E foram eles que conquistaram e deram início ao processo de redemocratização do país.
Tancredo Neves, avó de Aécio Neves, foi eleito presidente e não chegou a assumir a presidência da República, vindo a falecer.

Em seu lugar, assumiu José Sarney.
O país iniciava a retomada pela liberdade com o pé esquerdo.

E continuou com o pé esquerdo ao eleger Fernando Collor.
Com o seu impechment, Itamar Franco passou a ser o novo presidente do Brasil. E aí sim, o país começou a tomar um novo rumo.

Como ministro da Fazenda do governo Itamar, Fernando Henrique Cardoso, liderou um grupo de economistas e foi implantado o Plano Real, mesmo com a oposição ostensiva do PT.

E o país continuou crescendo com Fernando Henrique Cardoso como presidente, consolidando o Plano Real e promovendo reformas necessárias às garantias para o desenvolvimento e à liberdade.
Em seus oito anos como presidente, FHC transformou o país.

A inflação que vivia números estratosféricos foi domada e passou a refletir índices de primeiro mundo.
O Brasil mudou a partir do governo de Itamar Franco e do governo de Fernando Henrique Cardoso.
O governo Lula nada mais é do que a continuação desses dois governos que os petistas negam a sua existência a todo momento e creditando unicamente a Lula essa nova fase da nossa história.

O outro grupo, formado por muitos dos que hoje ocupam importantes funções no governo Lula, era o mesmo que queria implantar à época o comunismo no nosso país.
E foi esse grupo que enfrentou os militares, com suas táticas de guerrilhas, apoiado pelo ditador Fidel Castro. Esse grupo, matou, sequestrou e roubou bancos.

E não estava lutando pela democracia e sim pelo comunismo.

Por sua participação em várias correntes de guerrilheiros e em atos como o assalto a casa do ex-governador Ademar de Barros, um nome do governo Lula, se destaca dos demais. Trata-se da ex-guerrilheira Dilma Rousseff, ungida por Lula como sua candidata.


http://www.youtube.com/watch?v=j_HWHFrrkxg&feature=player_embedded


Um governo e um partido que celebra a Venezuela do ditador Hugo Chavez; que doa milhões ao governo do ditador Fidel Castro com quem mantém há anos os melhores laços de amizade, sendo Lula, inclusive, fundador do Foro de São Paulo juntamente com o ditador cubano; um partido que tem ligações explícitas com as Farc, um grupo de guerrilheiros que rouba, mata, sequestra e faz tráfico de drogas; que celebra o governo do ditador Mahmoud Ahmadinejad do Irã; que já tentou inúmeras vezes consolidar passos que nos levariam ao comunismo, como a censura à imprensa.

É esse governo e o partido que a candidata Dilma representa e quer dar continuidade implantando no país um regime que os militares impediram em 1964.
Hoje, eles não usam mais armas.

Usam a fraqueza humana e corrompem o Congresso Nacional para aprovar as medidas para execução de suas intenções.

Exagero
. Não!
Basta ler o plano de governo que a candidata Dilma apresentou ao TSE e depois foi retirado. E ainda, ler a carta que o presidente Lula mandou para o Foro de São Paulo que realiza congresso na Argentina, publicada pelo jornalista Reinaldo Jardim .
A diferença entre 64 e 2010, é que não temos certeza de que os militares estariam dispostos a nos socorrer novamente. Isto quer dizer, que estamos entregues à nossa própria sorte.
E, se tivermos eleições limpas e democráticas, somente com o nosso voto poderemos fazer uma nova revolução.