Apostilas Temáticas

Que felicidade!
Em menos de 3 horas do anúncio já recebemos diversas respostas de interesse e sugestões para novas apostilas.
E também tem gente curiosa para conhecer o formato dela antes de tirar cincão do bolso :D
Quer dar uma espiadinha você também?
Escreva para nosso email: obancodeatividades@gmail.com e coloque no título "Quero conhecer".
Que enviamos uma amostrinha para você também ver como é o conteúdo e o quanto vale a pena você ter!

MÃES & FILHOS- qual é o melhor jeito de ensinar o alfabeto?

Excelente materia educativa Retirada do site:http://brasil.babycenter.com/toddler/linguagem/ensinar-alfabeto/




Boa parte das crianças começa a reconhecer algumas letras entre os 2 e 3 anos de idade, e consegue identificar a maioria entre os 4 e 5 anos. Isso significa que você pode começar a ensinar o alfabeto ao seu filho quando ele tiver cerca de 2 anos -- mas não espere que ele aprenda tudo em pouco tempo.

Além disso, crianças pequenas têm um jeito de aprender diferente da de crianças mais velhas. Procure ajuda visual, como livros coloridos com desenhos, bloquinhos ou tapetes de EVA com letras. Seu filho vai se divertir apontando as letras que ele conhece, assim como cores, formas, animais e outros objetos no livro.

O primeiro passo para ensinar o alfabeto é fazer com que seu filho se interesse em ouvir histórias. Por volta dos 2 ou 3 anos, crianças para quem os pais lêem com frequência começam a perceber que os livros contêm letras.
Há muitas maneiras divertidas de apresentar as letras ao seu filho. Por exemplo, escreva o nome dele em todas as "obras de arte" que ele fizer e mostre cada uma das letras para ele.
Com o tempo, ele entenderá que aquelas letras, juntas, formam o nome dele. Você pode reforçar isso de vários jeitos: mostre as letras que formam o nome dele na porta do quarto, ou talvez um brinquedo ou quebra-cabeça personalizado com o nome dele. Ou brinque com ímãs de geladeira em forma de letras.
Quando ele começar a reconhecer uma letra, use isso em brincadeiras. "Que palavra começa com 'b'?" Bola, bebê, balão. Ou use a primeira letra do nome dele para começar. "Sua letra especial é 'J', de João. Que outras palavras têm 'J'?".
(Seu filho só vai conseguir escrever letras quando tiver 4 anos, então não tente ensiná-lo a escrever até lá).
Se ele parecer interessado, continue a ajudá-lo a aprender mais letras. Mas, se ele tem menos de 4 anos e não parecer entusiasmado, é melhor deixar a questão de lado por um tempo. Não há estudos que apontem que aprender o alfabeto cedo tenha relação com habilidades avançadas de leitura no futuro.

AREA VIP - como acessar?

Quando a area VIP é liberada, a pessoa recebe uma mensagem com o endereço da pasta compartilhada. Com o passar dos dias normalmente ocorre o esquecimento dessa pasta pois dificilmente se add o endereço aos favoritos e então a cada novo acrescimo na pasta, me enviam mensagem perguntando onde acessar novamente.
Vou deixar aqui explicações que vão facilitar as buscas de agora em diante.

Quando se está dentro do hotmail ao qual foi informado para a liberação do acesso, no campo superior aparece:
Clique em OFFICE e selecione Meus documentos
No menu do lado esquerdo vai aparecer COMPARTILHADOS
clique em exibir tudo
entre os resultados que aparecerão voce verá Área VIP
é só clicar em cima e vai aparecer todos os documentoc compartilhados ali!

Esta semana novidades serão postadas já sobre as Festas Juninas.
Experimente acessar a area desta forma,pois assim se tornará um habito e a cada nova postagem ficará mais facil a localização!

cordialmente

Juliana
Banco de Atividades

DIVULGUE- depoimento professora Amanda Gurgel

Se já viu aproveite e divulgue pelas redes sociais que voce faz parte, se ainda não assistiu, não deixe de ver.
A união fará a força por esse video que mostra a realidade da maioria das escolas brasileiras:

ALFABETIZAÇÂO- para a familia

Recebi por email da amiga Marlen e estou compartilhando:
O site Ler para Crescer produziu uma cartilha com 11 maneiras de deixar o ambiente de sua casa mais alfabetizador para seu filho passar por esse momento sem estresse.
>>Deixe recadinhos na porta da geladeira, escreva cartas e estimule-o a fazer o mesmo (mesmo que saiam apenas rabiscos. Lembre-se: nessa fase do desenvolvimento, não se erra, se tenta acertar).
>>Ao preparar um receita culinária, chame o pequeno para participar. Durante a receita de um bolo, por exemplo, vá perguntando para a criança: "Vamos ver o que falta colocar? Ah, ainda preciso colocar 3 ovos, está escrito aqui".
>>Leia com frequência para seu filho: gibis, revistas, contos de fadas... Leia mais de uma vez o mesmo livro, pois isso é importante para a criança começar a recontar aquela história depois, no papel de leitora, inclusive passando as páginas do livro corretamente.
>>Seja um modelo de leitor. Essa é a premissa mais básica de qualquer ambiente alfabetizador. A criança forma valores a partir de bons modelos e, assim, ter pais leitores é fundamental para ela aderir à leitura.
>>Explore os rótulos das embalagens. Eles são interessantes de serem lidos porque, na maioria dos casos, são escritos em letra CAIXA ALTA, que é a qual a criança assimila antes da letra cursiva.
>>Faça a lista de compras do supermercado com seu filho. Num ambiente alfabetizador, o momento pode ser aproveitado: chame a criança para preencher a lista com você e faça com que ela perceba que você anota no papel as coisas que irá comprar, para consultar lá no mercado (uma forma de ela relacionar a linguagem oral com a escrita). Vá conversando com ela: "Vamos anotar para não esquecer. O que mais vamos ter de comprar? Então, vamos escrever aqui". Deixe que ela acompanhe com os olhos o que você está escrevendo e vá falando em voz alta.
>>Aproveite as situações da rua. Placas de trânsito, destino de ônibus, outdoors, letreiros, panfletos, faixas... onde quer que frequentemos estaremos sempre em contato com o mundo letrado e é ótimo que os diferentes elementos sejam aproveitados com a criança. "Dá para levar em forma de brincadeira. 'Olha filho, tem uma placa igual a essa em frente à nossa casa. Sabe o que está escrito nela?'’ ou ainda 'Olha, filho, esse ônibus vai para Cajuru. Cajuru também começa com Ca, igual o nome da mamãe, Carolina'.
>>Escrever nos convitinhos de aniversário é uma etapa da festa da qual a criança precisa participar. Pergunte a ela: "o que teremos de escrever nos convites? Precisamos dizer onde vai ser e a que horas". Isso pode ser feito desde o primeiro aniversário da criança, repetindo nos anos seguintes, até chegar a vez em que ela própria irá querer escrever sozinha, com sua letrinha.
>>A agenda telefônica é um bom objeto a ser explorado com as crianças. Ela mostra, claramente, o que é texto e o que é número, com a função de cada um deles. O texto é usado para escrever o nome das pessoas ou dos lugares, enquanto o número é utilizado para informar o telefone.
>> Quando for montar um álbum com fotos de uma viagem, chame a criança para legendar cada foto com você. "Você lembra como se chamava este lugar? Vamos escrever aqui para sabermos daqui a um tempo".
Sabe o que mais pode ajudar na alfabetização de seu filho? Compreender o seu ritmo! Lembre-se: começar a ler e a escrever mais tardiamente não representa problema de aprendizagem ou falta de inteligência. Na maioria dos casos, significa apenas que a criança ainda não atingiu um nível necessário de maturidade.

DATAS COMEMORATIVAS - cartaz dia das mães

Faça a impressão do documento utilizando as configurações de impressão de poster em sua impressora e depois faça o colorido das flores para destacar ainda mais a mensagem.
Otimo para ser afixado em parede ou mural para festa do dia das mães.

DATAS COMEMORATIVAS - convite festa Dia das Mães

PROJETO - Dia das mães para maternal


1 – DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

TEMA: Família


TURMA: Maternal 1


ÁREA: Natureza e Sociedade / Sócio afetivo




2 – JUSTIFICATIVA:
Este projeto surgiu a partir da necessidade da escola em trabalhar datas comemorativas.



3 - QUESTÃO DESENCADEADORA:

Através do projeto das abelhas introduzirei o tema mãe com a explanação da abelha rainha através da história: “A Abelha” da editora Edelbra. Realizando a comparação entre as tarefas da abelha rainha e da mamãe. Também começaremos os ensaios para a apresentação no dia da festa.



4 – CONTEÚDOS NORTEADORES:

Qual o nome da minha mamãe?•


O que minha• mãe mais gosta?


Quem é a rainha do meu lar?•


Quem são os membros da• minha família?






5 – OBJETIVOS:



LINGUAGEM ORAL E ESCRITA:


• Identificar pelo nome a minha mamãe;


conhecer o nome da mamãe dos• colegas;


Expressar-se;•


Participar de variadas situações de comunicação• oral, para interagir e expressar desejos, necessidades e sentimentos por meio da linguagem oral, contando suas vivências;


Usar a linguagem oral para• conversar, brincar, comunicar-se e expressar desejos, opiniões, necessidades, idéias, etc.


MATEMÁTICA:


Seqüenciar fatos;•


Estabelecer• aproximações a algumas noções matemáticas presentes no seu cotidiano, como contagem, relações espaciais, etc.;


NATUREZA E SOCIEDADE:


• Reconhecer e nomear os membros da família;


Participar de atividades que• envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos;



ARTES VISUAIS:


Utilizar o dedo para realizar as colagens;•


Confeccionar• presentes e lembranças para datas especiais;


Observar o limite disponível• para os desenhos, pinturas e colagens;


Participar de mímicas das• músicas;

SÓCIO AFETIVO:


Criar combinações para o desenvolvimento• da rotina;


Respeitar regras pré-estabelecidas;•


Compartilhar materiais• de uso comum, bem como brinquedos e espaços;


Esperar sua vez de expor• idéias e pensamentos;


Ouvir os que os colegas têm para falar;•


Criar• vínculo afetivo com a professora e os colegas;


Valorizar sentimentos de:• arrependimento, amizade, cooperação, cuidados com o próximo;


MOVIMENTO:

Grandes Movimentos:


Explorar as• possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressar-se nas brincadeiras e nas demais situações de interação;


Deslocar-se com destreza progressiva no• espaço ao andar, correr, pular, etc..., Desenvolvendo atitude de confiança nas próprias capacidades motoras;


Locomover-se pela escola com• mobilidade;


Pequenos Movimentos:


Encaixar objetos por tamanho;•


• Rasgar, amassar e picar materiais com texturas e tamanhos diferentes;


• Modelar livremente com massinhas e argila;


Utilização adequada dos talheres• (colher) e copo, durante as refeições;



MÚSICA:


Participar de• brincadeiras e jogos cantados e rítmicos;


Participar de situações que• integrem músicas, canções e movimentos corporais.


6 – ATIVIDADES PREVISTAS:


Conversas na rodinha;•


Levantar questionamentos;•


• Pinturas diversas;


Ouvir, cantar e dançar diferentes músicas e• ritmos;


Confecção da coroa da abelha rainha;•


Confecção do presente da• mamãe (porta retrato);


Confecção do cartão da mamãe;•


Criar um mural• com as fotos da mamãe;


Ouvir diferentes histórias sobre o tema• família.


Apresentação, para as mães, da música da Xuxa “5 patinhos”•


• Colocar fantasias de patinho.



DRAMATIZAÇÃO - para o dia das mães


Peça para o Dia das Mães




Criança 1 – “O dia da Mães está chegando...”


Criança 2 – “O que nós vamos dar de presente para a mamãe?”


Criança 1 – “Já sei!! Vamos fazer uns doces!!”



Entra um grupo de crianças, caracterizadas de doceiros com colher de pau, fôrmas, avental, ao som da música “Planeta Doce”. Dançam e dramatizam como se estivessem fazendo doces. Uma outra criança com uma bandeja serve brigadeiros às mães. Após a música o grupo sai e as crianças continuam conversando...


Criança 2 – “A mamãe não vai gostar, ela só vive de regime.”


Criança 1 – “Vamos dar uma roupa, então.”


Criança 2 – “Que tal um biquíni?”



Entra um outro grupo com trajes de banho, balde e pá, bola, canga, etc, como se estivessem na praia. Toca a música “Biquíni de bolinha amarelinha”.


Criança 1 – “A mamãe já tem muita roupa!”


Criança 2 – “Vamos fazer uma pintura!”



Entra um terceiro grupo caracterizados de pintores com telas, pincéis, tintas. Toca a música “ se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel...”


Pode entrar algumas crianças de gaivota ou distribuir gaivotas, barquinhos de papel para quem assiste.



Criança 1 – “A gente já faz desenho e pintura o ano todo!”


Criança 2 – “É mesmo! E agora? O que a gente vai dar para a mamãe?”


Narrador:


- Pois é, todo ano é a mesma coisa. O que vamos dar para a mamãe? Nós pensamos, pensamos e chegamos a conclusão de que o mais importante é a mamãe ter os filhos junto dela.


Mãe que tem a coragem de procurar, pesquisar, mesmo quando assustada. É capaz de recomeçar quantas vezes se fizerem necessárias, dá o passo exato no momento preciso e que prepara os filhos para darem outros passos posteriormente.


Mãe, que tua alegria possa ser a certeza de que deste o melhor de ti mesma, ajudando teus filhos. Mãe que tens no seu coração um amor infinito, que sempre viveu em ti, desde que tomaste seu filho em teus braços pela primeira vez, iniciando-o no caminho da vida.


Os filhos alegres, com saúde, brincalhões, esse é o maior de todos os presentes. E é por isso que esses filhinhos estão aqui hoje, para poder te homenagear nesse dia tão feliz.






Todos cantam uma música para a mamãe.