Apostilas Temáticas

Que felicidade!
Em menos de 3 horas do anúncio já recebemos diversas respostas de interesse e sugestões para novas apostilas.
E também tem gente curiosa para conhecer o formato dela antes de tirar cincão do bolso :D
Quer dar uma espiadinha você também?
Escreva para nosso email: obancodeatividades@gmail.com e coloque no título "Quero conhecer".
Que enviamos uma amostrinha para você também ver como é o conteúdo e o quanto vale a pena você ter!

Pró Letramento Matemática 1

Estaremos postando nos próximos dias o material sobre pró-letramento na área de Matemática.
Os textos foram retirados da Apostila encontrada no site do MEC.
Ao final de cada postagem, você pode salvar o documento em word para imprimir e guardar.

Pró-Letramento


OO Pró-Letramento é um programa de formação

continuada de professores para melhoria da

qualidade de aprendizagem da leitura/escrita e

matemática nas séries iniciais do ensino fundamental.

O Programa é realizado pelo MEC com a parceria

de Universidades que integram a Rede Nacional de

Formação Continuada e com adesão dos estados e

municípios. Podem participar todos os professores

que estão em exercício nas séries iniciais do ensino

fundamental das escolas públicas.

O que pretende?

Os objetivos do Pró-Letramento são:

• Oferecer suporte à ação pedagógica dos professores das séries iniciais do ensino

fundamental, contribuindo para elevar a qualidade do ensino e da aprendizagem de Língua

Portuguesa e Matemática;

• Propor situações que incentivem a reflexão e a construção do conhecimento como

processo contínuo de formação docente;

• Desenvolver conhecimentos que possibilitem a

compreensão da matemática e da linguagem e seus

processos de ensino e aprendizagem;

• Contribuir para que se desenvolva nas escolas uma

cultura de formação continuada;

• Desencadear ações de formação continuada em rede,

envolvendo Universidades, Secretarias de Educação e

Escolas Públicas dos Sistemas de Ensino.


Por que Formação Continuada?


AA formação continuada é uma exigência nas atividades profissionais do mundo atual, não

podendo ser reduzida a uma ação compensatória de fragilidades da formação inicial. O

conhecimento adquirido na formação inicial se reelabora e se especifica na atividade

profissional para atender a mobilidade, a complexidade e a diversidade das situações que

solicitam intervenções adequadas. Assim, a formação continuada deve desenvolver uma

atitude investigativa e reflexiva, tendo em vista que a atividade profissional é um campo de

produção do conhecimento, envolvendo aprendizagens que vão além da simples aplicação do

que foi estudado.

Sendo assim, o Pró-Letramento em matemática foi

concebido como formação continuada de caráter reflexivo,

que considera o professor sujeito da ação, valoriza suas

experiências pessoais, suas incursões teóricas, seus

saberes da prática, além de no processo, possibilitar-lhe que

atribua novos significados à sua prática e ainda

compreenda e enfrente as dificuldades com as quais se

depara no dia-a-dia.

Não se pode perder de vista a articulação entre formação e

profissionalização, uma vez que uma política de formação

implica ações efetivas, no sentido de melhorar a qualidade

do ensino, as condições de trabalho e ainda contribuir para

a evolução funcional dos professores.

A dinâmica dos fascículos será desenvolvida


em três etapas:

EEsta parte do material impresso "fecha" o trabalho do fascículo anterior retomando todas as

atividades individuais realizadas anteriormente. Você deve aproveitar este momento presencial

para tirar dúvidas, comparar as tarefas realizadas com as dos colegas e refletir em grupo.

1ª Etapa: Pensando juntos

EEsta é a seção que abre o estudo de um novo fascículo e deverá ser realizada durante o

encontro presencial. Nesse momento, o grupo entra em contato com o conteúdo do fascículo e

aguça o interesse pelo estudo que irá ser desenvolvido na quinzena seguinte. Poderão propor

reflexões iniciais a respeito das atividades selecionadas para o trabalho individual. No

desenvolvimento o tema vai ser expandido a partir de referencias bibliográficas dispostas para

auxiliar na reflexão e análise.

2ª Etapa: Trabalhando em grupo

O roteiro de trabalho individual é destinado a um maior aprofundamento dos conteúdos

propostos e a questionamentos da própria prática educacional. Esse aproveitamento maior é

conseguido por meio de leituras e sugestões de atividades para o cotidiano na sala de aula. As

leituras suplementares e os sites indicados servirão como auxílio na discussão e elaboração dos

textos a serem produzidos como avaliação de cada fascículo e na resolução de problemas

propostos.

3ª Etapa : Roteiro de trabalho individual

Esta etapa constitui o "fecho" do encontro, tem momento de síntese, reflexão e produção

individuais e coletivas das atividades realizadas no decorrer do fascículo. Normalmente, esta

etapa ocorre antes de iniciar um novo fascículo, pois há uma necessidade de se perceber o

grau de aproveitamento do grupo.

Essas conclusões são compostas por apresentação dos principais temas e objetivos do estudo

presencial e a distância realizado pelo cursista.

Dessa maneira, a dinâmica dos fascículos tem em vista a reflexão em grupo; no "Pensando

Juntos", análises e orientações presenciais, no "Trabalho em Grupo", e aprofundamento das

atividades propostas, em "Roteiro de Trabalho Individual". As sínteses e relatórios estarão

presentes em "Nossas Conclusões" para que você exponha o aproveitamento das atividades

executadas.

Esperamos que tenha o maior aproveitamento possível do conteúdo apresentado.
Registrando seus Estudos



Como já foi dito nesta apresentação, o encontro presencial terá o objetivo de aprofundar as reflexões

em torno das atividades propostas. Dessa maneira, o primeiro momento de cada encontro

será determinado pela retomada de alguns pontos que provocaram dúvidas, incluindo uma

síntese das principais idéias que foram exploradas no fascículo, sejam elas conceituais ou

metodológicas. Entretanto, como faremos esta discussão? Será que você se lembrará de cada

dúvida e questionamento encontrados ao longo dos últimos quinze dias de estudo?

Propomos que organize um caderno ou uma

pasta com fichas para que possa construir seu

percurso de estudos. Esse material

possibilitará que você mesmo acompanhe as

dificuldades e avanços na aprendizagem que

possui. Escreva o que é visto e ouvido por

você, seja em seu grupo ou por seus alunos

quando estiver realizando alguma atividade

proposta pelo Pró-Letramento, organize seus

estudos individuais e outras situações de

aprendizagem. Assim construirá seu próprio

instrumento de avaliação. Releia sempre seus

registros, reflita e realize sua auto-avaliação.

É esse registro que servirá de base para o nosso encontro

presencial.

Nessas anotações você poderá registrar também suas próprias reflexões. Sem dúvida, em seus

estudos, uma série de questionamentos será suscitada e seu registro é de extrema importância,

pois evidenciará o percurso de trabalho feito por você mesmo. Isso é tão importante quanto o

registro das atividades propostas em cada fascículo.

A composição da sua valoração final em cada fascículo deverá considerar estes momentos de

sua trajetória no curso. Ao final de cada tema você terá em mãos todo o registro das atividades

propostas e este será um dos nossos instrumentos de avaliação. A avaliação do assunto, do curso

e sua auto-avaliação estarão, portanto, completamente vinculadas ao processo de estudo.
Agora é aprofundar as leituras.


Deixamos para você um artigo da Revista Veja, edição 1910, ano 38, nº 25, 22/06/2005, página

24. Leia e reflita sobre o tema.

Todas as profissões têm sua visão do que é felicidade. Já li um economista

defini-la como ganhar 20.000 dólares por ano, nem mais nem menos.

Para os monges budistas, felicidade é a busca do desapego. Autores de

livros de auto-ajuda definem felicidade como “estar bem consigo mesmo”,

“fazer o que se gosta” ou “ter coragem de sonhar alto”. O conceito de

felicidade que uso em meu dia-a-dia é difícil de explicar num artigo curto.

Eu o aprendi nos livros de Edward De Bono, Mihaly Csikszentmihalyi e de

outros nessa linha. A idéia é mais ou menos esta: todos nós temos desejos,

ambições e desafios que podem ser definidos como o mundo que você

quer abraçar. Ser rico, ser famoso, acabar com a miséria do mundo, casarse

com um príncipe encantado, jogar futebol, e assim por diante. Até aí,

tudo bem. Imagine seus desejos como um balão inflável e que você está

dentro dele. Você sempre poderá ser mais ou menos ambicioso inflando ou

desinflando esse balão enorme que será seu mundo possível. É o mundo

que você ainda não sabe dominar. Agora imagine um outro balão inflável

dentro do seu mundo possível, e portanto bem menor, que representa a sua

base. É o mundo que você já domina, que maneja de olhos fechados,

graças aos seus conhecimentos, seu QI emocional e sua experiência. Felicidade

nessa analogia seria a distância entre esses dois balões – o balão que

você pretende dominar e o que você domina. Se a distância entre os dois

for excessiva, você ficará frustrado, ansioso, mal-humorado e estressado. Se

a distância for mínima, você ficará tranqüilo, calmo, mas logo entediado e

sem espaço para crescer. Ser feliz é achar a distância certa entre o que se

tem e o que se quer ter.

O primeiro passo é definir corretamente o tamanho de seu sonho, o tamanho

de sua ambição. Essa história de que tudo é possível se você somente

almejar alto é pura balela. Todos nós temos limitações e devemos sonhar de

acordo com elas. Querer ser presidente da República é um sonho que você

pode almejar quando virar governador ou senador, mas não no início de

carreira. O segundo passo é saber exatamente seu nível de competências,

sem arrogância nem enganos, tão comuns entre os intelectuais. O terceiro é

“Uma definição de felicidade”

17

encontrar o ponto de equilíbrio entre esses dois mundos. Saber administrar a

distância entre seus desejos e suas competências é o grande segredo da

vida. Escolha uma distância nem exagerada demais nem tacanha demais.

Se sua ambição não for acompanhada da devida competência, você se

frustrará. Esse é o erro de todos os jovens idealistas que querem mudar o

mundo com o que aprenderam no primeiro ano de faculdade. Curiosamente,

à medida que a distância entre seus sonhos e suas competências diminui

pelo seu próprio sucesso, surge frustração, e não felicidade.

Quantos gerentes depois de promovidos sofrem da famosa “fossa do

bem-sucedido”, tão conhecida por administradores de recursos humanos?

Quantos executivos bem-sucedidos são infelizes justamente porque “chegaram

lá”? Pessoas pouco ambiciosas que procuram um emprego garantido

logo ficam entediadas, estacionadas, frustradas e não terão a prometida

felicidade. Essa definição explica por que a felicidade é tão efêmera. Ela é

um processo, e não um lugar onde finalmente se faz nada. Fazer nada no

paraíso não traz felicidade, apesar de ser o sonho de tantos brasileiros.

Felicidade é uma desconfortável tensão entre suas ambições e competências.

Se você estiver estressado, tente primeiro esvaziar seu balão de ambições

para algo mais realista. Delegue, abra mão de algumas atribuições,

diga não. Ou então encha mais seu balão de competências estudando,

observando e aprendendo com os outros, todos os dias. Os velhos acham

que é um fracasso abrir mão do espaço conquistado. Por isso, recusam

ceder poder ou atribuições e acabam infelizes. Reduzir suas ambições à

medida que você envelhece não é nenhuma derrota pessoal. Felicidade

não é um estado alcançável, um nirvana, mas uma dinâmica contínua. É

chegar lá, e não estar lá como muitos erroneamente pensam. Seja ambicioso

dentro dos limites, estude e observe sempre, amplie seus sonhos quando

puder, reduza suas ambições quando as circunstâncias exigirem. Mantenha

sempre uma meta a alcançar em todas as etapas da vida e você será muito

feliz.

Stephen Kanitz é administrador por Harvard (http://www.kanitz.com.br/)



Nenhum comentário:

Postar um comentário